A saúde do rebanho é um dos principais fatores para garantir a produtividade. E quando se trata de gado leiteiro, a mastite é uma doença que acomete animais no mundo todo e causa prejuízos aos produtores.

A mastite atinge as glândulas mamárias das vacas causando queda na produtividade do animal e na qualidade do leite, mas podem chegar ao descarte do animal. Ficar atento aos sintomas e ter métodos de identificação da doença se faz indispensável para reduzir esses impactos.

Causas da Mastite 

A mescla de microorganismos, ações do homem, ambiente e possíveis equívocos no manejo, abrem possibilidades para a mastite. A falta de higienização do ambiente deixando as vacas em contato com urina, fezes e matéria orgânica acumulada também pode ser um fator causador da doença.

É necessário ficar atento aos animais, ambiente e manejo adequado. Cada quadro possui um agente causador, um microorganismo, um agente infeccioso.

Esses agentes podem  ser compostos por bactérias, que através do teto se colonizam e invadem a glândula mamária se multiplicando ali e causando a inflamação. Esses agentes podem estar presentes no esterco, barro e água e ou mesmo na manipulação inadequada dos equipamentos de ordenha.

 

Os quadros de mastite: 

A doença pode se apresentar de formas mais graves ou mais brandas:

  • Mastite clínica (CS): neste quadro o animal apresenta inflamação visível, com alteração no úbere e glândulas mamárias. Pode causar febre, anorexia animal, hipotensão e outros sintomas. Neste quadro pode haver alteração no leite, e necessidade de grandes descartes;
  • Mastite subclínica (CSS): neste quadro não há sinais visíveis de inflamação e nem alterações no leite. Porém os níveis produtivos do animal reduzem e há alteração no teor de caseína, gordura e lactose no leite, o que causa alteração nos produtos derivados do leite;
  • Mastite crônica: é a alternância entre a fase clínica e subclínica, neste quadro é comum a perda do quarto mamário. É comum que animais neste quadro precisem ser eliminados devido a grande possibilidade de contaminação das demais vacas.

Observando a tabela abaixo podemos verificar como a mastite influência na produtividade do leite, a prevalência estimada de infecção e as perdas na produção de leite, associadas à alta contagem de células somáticas do tanque de expansão.

Mastite é uma doença severa que pode causar muito prejuízo para os produtores, mas o que fazer para quando os índices de  CCS são altos? Aderir ao Lactovit, um produto desenvolvido pela Dispec do Brasil especialmente para prevenir e tratar a mastite.
Veja outras dicas de produtividade e cuidados com o rebanho aqui em nosso blog!

 

Leave a comment