O setor leiteiro é muito importante para a economia nacional, já que no ramo alimentício, a indústria de laticínios é a segunda maior do país. Enquanto o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de leite. 

A produção neste ramo é muito variável, pois depende da produção das safras de grãos. Mas isso apenas evidencia como o manejo nutricional é indispensável para a produtividade do rebanho leiteiro. 

Nas últimas décadas o gado leiteiro passou por um processo de seleção genética, voltado para melhor produção leiteira. Entretanto, outros aspectos além da genética podem influenciar na produtividade e reprodução destes animais. 

As vacas leiteira enfrentam diversos períodos de transição, como estresse térmico, e podem desenvolver desordens metabólicas entre outros desafios. Que mesmo em vacas com excelente genética pode causar redução de produtividade.

Estes aspectos devem ser analisados e adequados antes de começar a pensar no manejo reprodutivo. Mas os produtores precisam estar atentos principalmente aos 4 pilares que sustentam a qualidade produtiva: 

  • Patrimônio genético do rebanho;
  • Manejo nutricional;
  • Bem-estar animal;
  • Status sanitário do rebanho e da fazenda. 

Juntos os 4 pilares sustentam a produtividade do rebanho. E a queda de qualquer um vai afetar diretamente o produto final e os lucros do produtor. Entretanto, os custo de uma fazenda leiteira em sua maioria são com alimentação dos animais. 

O manejo nutricional influencia diretamente na qualidade e na quantidade de leite produzido pelos animais. E por isso, é necessário ter conhecimento sobre as práticas de manejopara fazer corretamente. 

 

Fatores que afetam o manejo nutricional. 

O manejo nutricional adequado é o que garante o bom desempenho de cada animal. É necessário que a alimentação da vaca seja equilibrada, pois todos os nutrientes encontrados no leite são sintetizados nas glândulas mamárias e provenientes da alimentação. 

Mas alguns fatores afetam o manejo e ter conhecimento pode ser crucial no momento de identificar e solucionar uma falha no desempenho do seu rebanho. Veja quais são: 

  • Raça do rebanho: já citamos a seleção genética e agora vamos reforçar que a raça e linhagem do seu rebanho faz toda a diferença. A raça Girolando, cruzamento da Holandesa com a Gir, teve 51% de aumento em sua produção em 16 anos; 
  • Qualidade da água: cerca de 87% do leite é composto por água, já entendemos que a quantidade e qualidade da água é relevante, pois as vacas consomem cerca de 40 a 60 litros por dia. Assim toda a água para consumo, lavagem de cochos e higiene de funcionários deve ser tratada, pois pode transportar microrganismos patogênicos. 
  • Qualidade da ração: rações e suplementos de qualidade reúnem diversos nutrientes em um produto só, pois são feitos com matéria-prima de qualidade; 
  • Adequação da dieta: as necessidades nutricionais mudam de acordo com o período produtivo do animal, não adequar a alimentação de acordo com essas necessidades pode causar redução na produtividade; 
  • Ambientação: instalações inadequadas, mal ventiladas, sujas e com pisos irregulares podem causar estresse nos animais. O que por sua vez, gera uma perda de 30% ou mais na produção de leite;
  • Saúde do animal: diversas doenças podem acometer o gado leiteiro, a mastite é a que tem maior incidência. As doenças podem causar prejuízos como redução na produtividade, descarte do leite e contaminação de outros animais. 

 

Melhores práticas de manejo nutricional de gado leiteiro

Agora que já vimos os fatores que afetam negativamente o manejo e consequentemente a produtividade do seu rebanho leiteiro, vamos às boas práticas. Feitas corretamente aumentam a produtividade e a qualidade do leite. 

  • Manejo das pastagens: uma boa forrageira deve ter boa digestibilidade e alto teor de proteína bruta. Utilizar a técnica de pastejo rotacionado é uma boa estratégia para garantir pasto verde o ano todo; 
  • Silagem de qualidade: as silagens mais comuns no país são milho e sorgo, para garantir uma boa produção escolha a semente correta, faça o plantio na época adequada, adubação e manejo de pragas, corte e tamanho das partículas precisam ser adequados para a compactação e vedação do silo;
  • Água: já vimos que a água pode influenciar negativamente, mas também pode fazer o contrário. Ela tem papel fundamental da cadeia produtiva do leite, por isso garantir que os animais consumam apenas água filtrada e livre de contaminantes, é garantir um leite de melhor qualidade; 
  • Suplementação alimentar: as vacas também precisam do alimento concentrado, que condensa alto nível de energia e proteína em pequenas quantidades de alimento. Os suplementos representam 60% dos nutrientes digestíveis totais (NDT). A inclusão de sais minerais e probióticos também é crucial para a dieta dos animais. Neste quesito o Lactovit é a escolha certa para manter a saúde do seu rebanho, pois trata CCS e CS e é rico em vitaminas, minerais, aminoácidos, probióticos e biotina.

O manejo nutricional é indispensável para manter seu rebanho sempre saudável e produtivo, tanto para gado leiteiro quanto para gado de corte. Veja outras dicas sobre cuidado com o seu rebanho aqui em nosso blog! 

Leave a comment